II Jornadas ED debatem a interligação entre Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global e a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

II Jornadas ED debatem a interligação entre Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global e a promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

A 17 de outubro assinala-se o Dia Internacional da Erradicação da Pobreza, este ano dedicado ao tema “juntos para alcançar a justiça social e ambiental para todos“. Apesar dos múltiplos desafios que hoje enfrentamos, não tenhamos dúvidas de que a pobreza, que hoje afeta mais de 736 milhões de pessoas, é o maior problema solucionável do mundo. A pobreza não é inevitável. Através de uma ação concertada entre todos os atores do desenvolvimento é possível quebrar o ciclo de pobreza e garantir que todos e todas vivem dignamente, libertando todo o seu potencial.

A Educação para o Desenvolvimento e Cidadania Global (EDCG), em articulação com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), tema das II Jornadas de Educação para o Desenvolvimento, são uma poderosa ferramenta para a sensibilização – reflexão – mobilização em prol da erradicação da pobreza e construção de um mundo mais justo, mais digno, mais inclusivo e sustentável.

Como “processo de aprendizagem e transformação através da ação individual e/ou colaborativa orientada para a justiça social e o bem comum “(in ficha temática de EDCG), a ED desconstrói estereótipos e combate e previne todas as formas de discriminação em razão do sexo, da origem racial e étnica, da nacionalidade, da idade, da deficiência, da religião, da orientação sexual, identidade e expressão de género, e características sexuais, entre outros. Contribui, assim, para reforçar princípios e compromissos que contrariem o alastramento do medo e da xenofobia, bem como para reconhecer e combater dinâmicas estruturais de exclusão, de normalização da violência e das desigualdades e de degradação ambiental, criando condições para um mundo mais inclusivo, pacífico, justo e sustentável (in ENED).  

É esta ligação intrínseca entre a EDCG e o processo de desenvolvimento que nos permite afirmar que a aplicação da EDCG contribui de forma assertiva para a promoção dos ODS.

Nestas II Jornadas de Educação para o Desenvolvimento – que contaram com uma sessão plenária com a participação de um convidado internacional, Miguel de Barros, da ONG guineense Tiniguena, Esta Terra é Nossa! – o IMVF coorganizou 3 oficinas temáticas:

“Coerência das Políticas para o Desenvolvimento (CPD)”

A Coerência das Políticas para o Desenvolvimento procura assegurar que os objetivos e os resultados das políticas de desenvolvimento de determinado governo não são prejudicados por outras políticas do mesmo governo, e sobretudo que impactem negativamente os Países em Desenvolvimento. A adoção de políticas coerentes e alinhadas para o desenvolvimento são o eixo central do próprio processo. De forma simples, mas não simplista é preciso assegurar que não damos com uma mão e retiramos com outra.

Porque o Desenvolvimento é uma responsabilidade partilhada, através desta oficina, coorganizada com a FEC – Fundação Fé e Cooperação, procurámos inspirar os cerca de 32 participantes a saberem mais sobre as 5 áreas trabalhadas em CPD: Alterações Climáticas; Segurança e Soberania Alimentar; Migrações; Comércio e Finanças; e Segurança, de forma a clarificar conceitos, definir linhas de ação e fomentar a importância da coerência destas políticas, e sobretudo incentivando à mobilização, para que juntos possamos contribuir para a justiça social e ambiental global.

Consulte o PPT Formativo.

“Caderno Geração ODS – Do papel à ação!”

Contribuir para a Agenda 2030 implica passar à prática. A utilização de recursos é uma mais-valia e um excelente apoio. Nesta oficina, que contou com 14 participantes, apresentámos, em conjunto com a Par – Respostas Sociais, o Caderno Geração ODS, um recurso que explora como as ferramentas de comunicação criativa podem ser usadas ao serviço da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável, e que ajuda a agir de forma concreta para um mundo mais justo. Este Caderno disponibiliza várias ferramentas e atividades criativas que podem ser replicadas por todos os agentes de transformação social. Ilustração, gamificação, campanhas, multicanais de comunicação, storytelling, entre outros foram apresentados nesta oficina, com destaque para o storytelling e a Jornada do herói como ferramentas criativas de educação e comunicação para o desenvolvimento.

Consulte o PPT Formativo.

“Municípios em Ação para o Desenvolvimento Sustentável – Rumo a 2030“

Coorganizada com a Rede Intermunicipal de Cooperação para o Desenvolvimento (RICD), nesta oficina debatemos o papel dos municípios na promoção da Agenda 2030, tendo sido salientada a centralidade dos temas da Agenda 2030 no trabalho dos mesmos, que viram nos ODS uma oportunidade para reforçar a transformação social, económica e ambiental, integrando essas preocupações nas iniciativas que prosseguem de Cooperação e de Educação para o Desenvolvimento, em Portugal e países parceiros.

As II Jornadas de Educação para o Desenvolvimento constituíram uma oportunidade para aprofundar o conhecimento sobre a Educação para o Desenvolvimento e em particular para o papel dos municípios portugueses na implementação desta Agenda Comum para 2030.

Wordpress Social Share Plugin powered by Ultimatelysocial